Caveiras

Por Noemi Alfieri

Caveiras pregadas a corpos vazios

recheados, só, de borboletas noturnas

habilmente persuadidosde que acreditar neles próprios

seja pecar de vaidade.


Prisioneiros.


Entre as dores do passado e o terror do futuro.
o presente está em algemas.
Vi humanos a rastejarem em poças de lama

explodirem, a seguir, na grandeza dos seus corpos sobreviventes.


Tochas na noite.

Noemi Alfieri nasceu em Turim (Itália). Escreve, é investigadora, emigrante, a viver em Portugal. A sua escrita é atravessada pelas preocupações à volta da violência, do género, do colonialismo, da opressão capitalista, da propaganda e das construções raciais

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: