Desejos vãos

Gostaria quetivesse lidooutros livrosalém da bíbliaLivros quete ensinassemque poderia seruma mulher completacom cabeçatroncoe membrosem precisarse mutilare rastejarseguindo umacabeçaque não éa tua. — JOZIANE FERREIRA DA SILVA, PARAENSE, NASCIDA EM MARABÁ, ATUALMENTE MORA EM BRASÍLIA. MÃE DE QUATRO FILHOS, CIENTISTA SOCIAL E ESCRITORA.SUA ESCRITA É PERMEADA PELA PRESENÇA DAS MULHERES E AS MÚLTIPLAS VIOLÊNCIAS A QUEContinue a ler “Desejos vãos”

Sem chance de lutar por salvação 

Num quarto escuro me jogaram e marcado com dor, fome e cicatrizes meu corpo feminino gritou e minha boca amordaçada se abafou e as forças se findaram.Minha pele marcada pelos traumas se contorceu em medo e a paz que habitava meus dias de moça se esgotaram em estalar de dedos.Apanhei em toda parte do meuContinue a ler “Sem chance de lutar por salvação ”

Somos gratas a todas que vieram antes de nós

Caminhamos por uma longa e tortuosa estrada. Estrada essa, que inúmeras mulheres já percorreram, percorrem e ainda irão percorrer. Olho para trás e vejo dores, sofrimentos, sangue, mortes, massacres. Vejo opressão, correntes, muros. Ouço o silêncio de tantas que não puderam dar voz ao teu sentir, às tuas vontades e sonhos. Vejo uma estrada comContinue a ler “Somos gratas a todas que vieram antes de nós”

Mulheres de ventos e arrepios

“Para que te quero asas? … Se eu tenho ventania dentro”1. É o vento que nasce na mente e promove o arrepio; o vendaval que brota do encontro entre mentes femininas e é ativado por um elemento: ancestralidade negra. Sendo netas e bisnetas de mulheres negras, adquirimos a força-poder da resistência, resiliência e sabedoria. TrêsContinue a ler “Mulheres de ventos e arrepios”

Porta das possibilidades

Fazer escolhas é algo difícil e, para alguém que não encontra portas a serem abertas, torna-se um grande desafio.Josy queria apenas encontrar uma chave que pudesse ajudá-la a abrir uma das portas com possibilidades de mudança para sua vida. Seguiu seu coração e acreditou que havia encontrado o seu “cavaleiro de armadura brilhante”, trazendo aContinue a ler “Porta das possibilidades”

Labirinto

Por Dyuvania Mara Em meio a um labirinto onde parte de mim desfalece, se perde e cansa, lutei com tanta força para me reencontrar.  A saída deste labirinto está próximo, vou me segurando entre as paredes e os destroços deste jogo exaustivo. Agoniada e certa de que o caminho é cheio de pedregulhos sigo forte,Continue a ler “Labirinto”

Caveiras

Por Noemi Alfieri Caveiras pregadas a corpos vazios recheados, só, de borboletas noturnas habilmente persuadidosde que acreditar neles próprios seja pecar de vaidade. Prisioneiros. Entre as dores do passado e o terror do futuro.o presente está em algemas.Vi humanos a rastejarem em poças de lama explodirem, a seguir, na grandeza dos seus corpos sobreviventes. TochasContinue a ler “Caveiras”

Desigual

Por Joziane Ferreira da Silva Quem disseque somostodas iguais?Somos muitasdistintasseparadasde tantas maneirasquantas possíveisEu tenhoa dolorosa certezaque por causado meu lugare da minha corserei tratada comouma mulhersem valor. – Joziane Ferreira da Silva, paraense, nascida em Marabá, atualmente mora emBrasília. Mãe de quatro filhos, cientista social e escritora.Sua escrita é permeada pela presença das mulheres eContinue a ler “Desigual”

Reflexões Televisivas

Por Gabriela Teles Por não ser constante, ontem e hoje fiz algo que não costumo fazer: assistir à televisão. Ontem vi um programa que se chama “O amor acontece”, em que 4 casais (por enquanto apenas vi o casal tradicional – homem – mulher) desconhecidos são colocados juntos em casas de férias para que seContinue a ler “Reflexões Televisivas”